9 de agosto de 2009

God, it make?

[considerem como: des_abafo]

Eu costumava sorrir. Levava na boa. Mas chega um ponto da sua vida, amado, que se você virar as costas pro que te incomoda - além de ser um erro imperdoável - ainda corrói seus pensamentos bons. Porque uma energia ruim vinda de um conhecido, destrói até mesmo o aquele pôr-do-sol lindo que você assistiu no mesmo dia. Congela o calor. Escurece toda aquela claridade. Cala a poesia, pesa até pra leveza. E eu cá com meus botões. Vi uns três filmes de comédia americana, aquela coisa carimbada com a falta de humor, mas que me deixa feliz de qualquer maneira. É difícil pra caralho me atingir com alguma coisa, mas vibes zuadas me zoam demais! Enquanto 28 pastores ocupam os canais da tv aberta para "pregar sua grande e desgraçada religião", os outros canais tocam fogo no puteiro. Enquanto você chora com a barriga cheia de carniça, outros choram por não ter um pão duro pra comer. Enquanto eu agradeço e me esforço cada dia mais, você reclama pra "Deus". Eu costumava chorar.
Agora acostumei-me comigo. Chorem, esbravejem, comam, cuspam, FODAM-SE.




Eu cerco minha casa com aqueles que lutam por mim.

2 comentários:

Roberto Borati disse...

negócio é um "foda-se" com classe.

ou não.

Diego Menegaci disse...

tudo que "congela o calor", merece um pouco de pé atrás.

se "congela o calor", pode ser que congele o amor, e o amor é fogo.

pode até diminuir a temperatura, mas nunca parar de queimar.

é essa a idéia.